Somente a nós mesmos podemos purificar-nos

Vigilância

Meditando, perseverante, o sábio, na vigilância se deleita, contente de estar entre os bons.

Tal sábio, esforçado e ativo, sensato atingirá libertação insuperável.

Dos vigorosos, dos sempre atentos, dos puros no agir, dos que reconsideram, dos conscientes, dos que seguem o darma, dos vigilantes só crescerá o respeito.

Com energia e vigilância, com auto-controle e domínio, façam os sábios uma ilha, que as cheias não possam cobrir.

Na negligência se comprazem ignorantes e inconscientes. O sábio guarda a vigilância como o mais valioso tesouro.

Deixe um comentário