Dos Sábios

Como alguém que aponta tesouros, devemos ver quem vê os erros, quem sabiamente nos reprova. Com tal sábio nos associemos, pois quem a tal sábio se unir, melhorará, não piorará.

Não te juntes a maus amigos, nem aos que não seguem o darma. Aos bons amigos te associa e àqueles que seguem o darma.

Quem bebe o darma dorme em paz, com a mente clara, com a mente calma. No darma dito pelos nobres, o sábio se compraz.

Assim como um rochedo sólido o vento não pode abalar, na crítica ou no elogio o sábio não se abalará.

Tal como lago profundíssimo, imperturbável e tranquilo ao ouvir os versos do darma, o sábio se torna sereno.

Em todas as partes homens bons se libertam, deixando de procurar prazeres sensuais. Atingido pela ventura ou pela dor o sábio não se abalará.

Nem pra ti próprio nem para os outros, desejes tu filhos, fortuna, reinos ou prosperidade à margem do darma; serás então virtuoso, sábio e justo.

Deixe um comentário